Durante os meses de junho e julho, o UNICURITIBA, por iniciativa de seu Coletivo Sustentável, promoveu uma campanha de coleta de medicamentos fora do prazo de validade. Pouco se fala a respeito, mas o descarte de medicamentos vencidos ou em desuso de forma aleatória, no lixo comum ou no vaso sanitário, pode gerar muitos impactos negativos ao meio ambiente.

Existem diversos estudos voltados para a análise de afluentes urbanos e os dados apontam para uma concentração de hormônios derivados de resíduos fármacos capazes de afetar gravemente os rios e os lagos de diversas regiões. Segundo os dados levantados em 2017 pela Brasil Health Service (BHS), as estatísticas mostram que 1 kg de medicamento descartado via esgoto pode contaminar até 450 mil litros de água. Além disso, quando liberados no lixo comum, esses resíduos seguem para o aterro, comprometendo a qualidade do solo. Os componentes químicos descartados podem alcançar o nível freático, poluindo o reservatório das águas submersas no solo, ou seja, os impactos do descarte são graves e precisam ser debatidos com seriedade pela sociedade.

Foram mais de 5 Kg de material coletado na campanha sendo destinados a uma rede de farmácias parceira e serão devolvidos aos fabricantes, que deverão providenciar o tratamento correto e disposição final dos resíduos. Essa responsabilidade está prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei 12.305/2010.

Durante o segundo semestre de 2018, o ponto para coleta desse material continuará disponível no segundo andar do Bloco D.