Shortcut to main content

Relações Internacionais

Perfil:

Processo Seletivo Agendado

 

A nova configuração do sistema internacional exige pessoas preparadas para compreender um ambiente complexo e, a partir da identificação de oportunidades de entendimento, negociar e acomodar diferentes interesses em conflito. Nasce, assim, a necessidade por profissionais que possuam grande capacidade analítica em um mundo dual, que passa por um processo crescente de globalização, permeado por oportunidades de interação, mas que ainda é marcado por diversos conflitos. Para ser capaz de interagir nesse ambiente, o profissional de Relações Internacionais precisa estar habilitado para atuar com contratos e o direito internacional, em ambientes de negociação e com diferentes realidades econômicas, políticas e sociais.

O amplo conhecimento da Teoria das Relações Internacionais, de Ciência Política, Economia, História e Direito Internacional, são, portanto, fundamentais para o internacionalista.

Mais especificamente, o Centro Universitário de Curitiba, por estar localizado no Paraná, insere o estudante de Relações Internacionais em um ambiente em que se incluem os principais receptores de empresas e investimentos internacionais dos últimos anos, e que apresenta um grande peso econômico e político no Mercosul, na América Latina e na abertura de novos mercados pelo mundo.

O Curso de Relações Internacionais vêm formando profissionais com múltiplas habilidades e altamente qualificados, adaptando-se a um mercado bastante promissor e com ampla necessidade de indivíduos capacitados para operar nos mais diversos âmbitos da arena internacional. Nosso estudante tem, à sua disposição, um dos melhores cursos de Relações Internacionais do País, com ampla estrutura e consagrado pela excelência dos alunos já formados e que se encontram em postos chave de empresas, do governo ou do ensino superior.

Mercado de trabalho

É possível destacar pelo menos três grandes áreas de atuação do profissional de Relações Internacionais:

No setor privado, poderá: inserir-se em grandes empresas que tem interesse em ocupar os mercados internacionais, identificando oportunidades de negócios; atuar em Tribunais e Câmaras de Arbitragem internacionais e nacionais; coordenar missões empresariais no exterior; representar empresas em feiras, negociações e na área do marketing internacional; atuar na área do sistema financeiro, seja no setor internacional dos bancos ou em empresas de investimentos; coordenar programas de intercâmbios internacionais na área estudantil, cultural e artística; fazer prospecção de mercados e fechar acordos; ser analista de assuntos internacionais em diferentes meios de comunicação.

No setor acadêmico, o profissional poderá ser professor e(ou) coordenar cursos de Relações Internacionais no país; realizar pesquisas e análises para organizações públicas e privadas e representar os escritórios de assuntos internacionais nas universidades e faculdades.

Por fim, poderá atuar nos diversos órgãos do setor público, tais como prefeituras, secretarias de Estado e ministérios, em projetos, programas e atividades internacionais; aconselhar profissionais do legislativo sobre assuntos políticos, econômicos e jurídicos internacionais; representar entidades brasileiras em organismos internacionais; atuar em organizações internacionais, como ONU, OMC, OEA, etc.; assessorar atividades políticas, econômicas e administrativas em acordos regionais de que o Brasil participa; atuar na carreira diplomática. Além disso, destaca-se que é cada vez maior o número de concursos públicos nas mais diversas esferas do governo federal e dos governos estaduais que abrem vagas especificamente para o curso de Relações Internacionais, criando oportunidades em diversos setores do Estado.

O profissional de Relações Internacionais formado pelo UNICURITIBA pode desempenhar atividades em:

•     setor privado – grandes empresas que atuam em mercados internacionais; Tribunais e Câmaras de Arbitragem nacionais e internacionais; missões empresariais no exterior; representação de empresas em negociações internacionais; marketing internacional;

•     setor público – diplomacia; prefeituras, secretarias de Estado e ministérios; programas e atividades internacionais; representação do Brasil em organismos internacionais; assessoramento nas atividades políticas, econômicas e administrativas em acordos nos quais o Brasil participa; ONGs (temas ambientais, humanitários, etc.); organizações internacionais, como as agências da ONU e o Mercosul.

Coordenação:

• Patricia Tendolini Oliveira

Professora / Mestre

Coordenadora do Curso de Relações Internacionais

Corpo Docente: 

• Airton Luiz Backes

Professor / Mestre

• Andrew Patrick Traumann

Professor / Doutor

• Angela Moreira​

Professora / Mestre

• Carlos Magno Esteves Vasconcellos

Professor / Doutor

• Cláudio Iavorski

Professor / Mestre

• Edson Ademir Mantovan

Professor / Mestre

• Eduardo Teixeira de Carvalho Junior

Professor / Doutor

• Elizabeth Accioly Rodrigues da Costa

Professora / Doutora

• Gustavo Glodes Blum

Professor / Mestre

• Isaak Newton Soares

Professor / Mestre

• Janiffer Tammy Gusso Zarpelon

Professora / Doutora

• Luis Alexandre Carta Winter

Professor / Doutor

• Marcelo Grendel Guimarães

Professor / Mestre

• Marlus Vinicius Forigo

Professor / Mestre

• Maxwill Michel Santos Araujo Braga

Professor / Mestre

• Michele Alessandra Hastreiter

Professora / Mestre

• Patricia Tendolini Oliveira

Professora / Mestre

Coordenadora do Curso de Relações Internacionais

• Perci Klein

Professor / Mestre

• Semi Cavalcante de Oliveira

Professor / Mestre

• Thiago Assunção

Professor / Mestre

• Violeta Sarti Caldeira

Professora / Mestre

Os Professores Thiago Assunção e José Carlos Portella Junior participaram do Curso de Preparação de Civis para Atuação em Ambientes Instáveis, promovido pelo Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB).

O UNICURITIBA sediou o I Interbrasil Curitiba. O evento, realizado em parceria com o Internationali, tem como principal objetivo simulações de Organizações Internacionais.

Atividades Complementares

As Atividades Complementares são componentes da matriz curricular e têm carga horária mínima a ser desempenhada pelo aluno.

Podem ser cursadas de acordo com o interesse ou afinidade do estudante, nas áreas de ensino, Extensão, Iniciação Científica ou prática profissional.

Vídeo do Curso: 

Situação: Portaria MEC nº 702, de 18/12/2013
Coordenação: Profª Patricia Tendolini Oliveira
Duração: 4 anos
Local: Câmpus Milton Vianna Filho
Modalidade: Bacharelado