Um dos destaques é o grupo que estuda os sistemas de proteção dos direitos humanos e foi premiado em competição da ONU.

Reconhecido pela excelência na educação, o Centro Universitário Curitiba (Unicuritiba) possui um corpo docente altamente qualificado. São 212 professores, sendo 61 com títulos de doutores, 124 mestres e 27 especialistas que garantem a implementação do projeto pedagógico que coloca o aluno no centro da aprendizagem e contribui para o desenvolvimento do seu projeto de vida.

Além de dominar as metodologias ativas de ensino e técnicas que dão mais dinamismo às aulas, os professores do Unicuritiba estão em constante aperfeiçoamento. Atualmente eles fazem parte de 64 grupos de pesquisa vigentes dentro da própria instituição. Há projetos de pesquisa em diversas áreas do conhecimento. Na área de Engenharia, por exemplo, há trabalhos como o desenvolvimento de placas de concreto e análise experimental de vigas.

Na área de Direito, os docentes coordenam pesquisas sobre criminologia, políticas públicas na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil, economia colaborativa, sustentabilidade, entre outros temas. Há ainda pesquisas que abarcam áreas dos cursos de Psicologia, Design de Animação e Relações Internacionais.

Grupo de pesquisa é destaque em competição da ONU

Um dos grupos de pesquisa do Unicuritiba que ganhou notoriedade internacional foi o chamado Sistema ONU (Organização das Nações Unidas), coordenado pela professora Priscila Caneparo dos Anjos, que reúne alunos dos cursos de Relações Internacionais e Direito.

Criado em 2018, o grupo pesquisa os sistemas internacionais de proteção dos direitos humanos, jurisprudência e instrumentos normativos da ONU. Um dos resultados do trabalho foi o primeiro livro publicado, “Possíveis Caminhos Emancipatórios dos Direitos Humanos”. O segundo volume será lançado no ano que vem.

Outro importante resultado do trabalho foi a participação na 12ª edição do Nelson Mandela World Human Rights Competition, organizada pelo Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, uma seção do Conselho de Direitos Humanos da ONU, e pela Universidade de Pretória, da África do Sul.

Na competição, universidades do mundo todo precisam apresentar petições para casos hipotéticos que são apresentados e avaliados por um painel de especialistas. As instituições aprovadas para a segunda fase vão até a sede da ONU, em Genebra, para participar da etapa oral. Por conta da pandemia, neste ano, a competição seguiu no formato online.

“Nosso grupo é classificado todo ano e fica sempre entre as melhores 48 universidades do mundo, foi assim em 2018, 2019 e 2020. No ano passado conseguimos um super feito, quando na fase oral que ocorre em Genebra fomos a instituição brasileira mais bem classificada, mas não ficamos entre as dez melhores. Esse ano, para nossa surpresa, ficamos em 9º lugar entre todas as universidades na colocação geral”, comemora a professora Priscila, ao frisar que o Unicuritiba ficou à frente de instituições como a Universidade de Buenos Aires (UBA), Universidade de São Paulo (USP), Cambridge e Harvard.

“Fomos destaque entre as equipes brasileiras. Cada ano estamos melhorando, ganhando maturidade jurídica e de postura dos alunos. Foi uma grande conquista, mérito das alunas que se propuseram a participar dos treinos até aos finais de semana. No ano que vem, o grupo tende a expandir os horizontes, além de agregar valor tanto para o Unicuritiba quanto para a Ânima”, diz Priscila. 

Outro grupo de pesquisa do Unicuritiba que ganhou reconhecimento foi o sobre Direito Animal, coordenador pela professora Lucimar de Paula Tochetto. Graduada em Direito pelo Unicuritiba, Marina Pranke Cioato integra o grupo de pesquisa sobre Direito Animal e sobre Criminologia e foi vencedora do I Prêmio Juiz Edmundo Cruz de Bioética edição 2020, na categoria de estudante de pós-graduação. Ela escreveu um artigo sobre o tráfico de animais silvestres sob a ótica da criminologia verde.

Simpósio de Pesquisa e Iniciação Científica

Para divulgar as atividades de pesquisa realizadas na instituição e fomentar a iniciação científica, o Unicuritiba promove todo ano o Simpósio de Pesquisa e Iniciação Científica (SPIC). Agora em 2020 ocorrerá a 12º edição, entre os dias 20 e 22 de outubro, com a promoção da pró-reitoria acadêmica por meio do Núcleo de Pesquisa e Extensão Acadêmica.

Nestes eventos se encontram estudantes e pesquisadores de todo o Brasil interessados em trocar conhecimento, resultados de pesquisas e informações sobre programas de iniciação científica e atividades de monitoria. A previsão é de que neste ano o simpósio ocorra no formato online.