Hackathon é um formato de evento colaborativo que tem o objetivo de desenvolver aplicações de forma rápida, com uma duração média de 24 a 48 horas. Recentemente, foi realizada, na sede da OAB/PR, a edição local do Global Legal Hackathon 2019. A equipe vencedora, denominada Dr. Rui, tem como um dos integrantes o egresso do Curso de Direito do UNICURITIBA, Yan César Rodrigues de Melo, e foi selecionada para as 12 finalistas mundiais que competirão em Nova Iorque.

Pode-se dizer que acesso à Justiça é palavra-chave da plataforma criada pelo time. Ela permite que cidadãos, exclusivamente em situações em que a lei autoriza, façam peticionamento diretamente.

A proposta é abranger as pessoas que acabam desistindo de ajuizar ação porque o valor da causa é baixo e os custos não compensariam. “Quantas pessoas deixam de ter acesso porque não vale a pena em relação ao valor da causa? Nesses casos, a única forma de conceder justiça é por meio da tecnologia”, explica Yan.

O projeto foi apresentado durante a primeira fase do Hackathon e ficou em primeiro lugar. Na segunda fase, que foi virtual, a equipe concorreu com times de 46 cidades do mundo todo. Apenas mais um grupo brasileiro foi selecionado para a fase mundial, o YouSolve, de Manaus.

Os preparativos para a final, no dia 4 de maio, incluem trabalho do time Dr. Rui em todos os finais de semana, além de ajustes diários para aprimoramento da plataforma. “Estamos trabalhando intensamente, melhorando habilidades do produto para trazer esse prêmio para o Brasil”, diz Yan.

O Global Legal Hackathon é uma competição mundial de tecnologia que ocorre simultaneamente em mais de 25 países. Seu objetivo é desenvolver soluções tecnológicas para o progresso do setor jurídico e do acesso à Justiça. Participam advogados, profissionais da área de TI, designers, empreendedores e estudantes organizados em equipes multidisciplinares.

Foto: OAB/PR